Tlm: +351 914872974 | Email: ajtalves@gmail.com

5 dicas para você desenvolver a da sua empresa

O nome não é estranho e provavelmente você já deve ter ouvido ele em algum lugar – ainda mais se trabalha com marketing. O fato é que a persona tornou-se indispensável para as estratégias de divulgação e comunicação, devido aos seus ótimos resultados.

5 dicas para você desenvolver a da sua empresa

De maneira geral, a persona consiste em um personagem semi fictício do cliente ideal, com base em características levantadas sobre o seu público-alvo. 

O grande ponto aqui não é apenas levantar dados gerais (faixa etária, localidade, escolaridade, etc.), mas sim, transformar essas informações em um personagem, com uma história de vida, desejos, medos e necessidades.

Ou seja, a persona vai humanizar a sua audiência, com base em um ou mais personagens que ajudam a identificar quem são os seus clientes.

Pense, por exemplo, que você quer vender um aparelho surdez. Hoje em dia, não são só os idosos que usam o equipamento, mas há muitos jovens com problemas de audição.

Ao construir uma persona, você cria uma história para aquele personagem, como alguém que está perdendo gradativamente a audição aos 20 anos e quer um aparelho mais moderno. Percebe? Isso já ajuda a ter um direcionamento na sua comunicação.

No entanto, muitas empresas têm dificuldades na hora de criar a persona. Principalmente, porque acabam confundindo com o público-alvo e perdendo um pouco dessa humanidade do figurante.

Por isso, o artigo de hoje vai trazer algumas dicas para você desenvolver a persona da sua empresa e conseguir direcionar ainda mais o seu planejamento de marketing.

1 – Comece com uma pesquisa de mercado

O primeiro passo para construir a sua persona é fazer uma pesquisa de mercado. Afinal de contas, você precisa conhecer quem são as pessoas que fazem parte do seu público e, por esse motivo, é necessário coletar dados.

Para isso, você deve fazer um planejamento de pesquisa, incluindo a definição dos objetivos e os instrumentos de coleta (roteiro de entrevistas, questionários digitais, pesquisas de opinião, entre outros).

É interessante combinar diferentes métodos e ferramentas, para ter uma visão mais completa do seu objeto que, no caso, é o perfil dos clientes.

Por exemplo, uma creche infantil particular pode aplicar um questionário online, mas também fazer uma entrevista junto aos pais e/ou responsáveis que já são clientes da escola. Assim, é possível ter um número maior de dados para a análise.

Em geral, as entrevistas e os questionários são os métodos mais usados. Vale dizer que a internet facilitou a realização de pesquisas de mercado, mas é no contato presencial que se pode perceber algumas nuances de comportamento.

2 – Faça um roteiro de perguntas

Depois de definir os objetivos e os métodos da sua pesquisa, é o momento de coletar os dados. No entanto, é fundamental esboçar um roteiro, visto que a construção da persona precisa de algumas informações relevantes.

Uma dica é dividir a sua pesquisa em cinco etapas de perguntas: demográfica, pessoal e profissional, consumo de conteúdo, hábitos de compra e relação com a empresa. Desse modo, fica mais fácil saber o quê perguntar ao público.

Veja alguns exemplos em cada um dos quadros de perguntas.

Demográfica

Aqui, estão os dados mais gerais sobre o perfil do cliente. Sendo assim, as perguntas-chave podem ser:

  • Qual a sua idade?
  • Onde mora?
  • Qual a sua escolaridade?
  • Qual a sua profissão?

Essas perguntas podem ser feitas durante as entrevistas com a sua audiência ou adaptadas em um questionário.

Pessoal e profissional

Nesta parte, encontram-se as perguntas referentes aos comportamentos diários dos clientes. Algumas perguntas são:

  • Como é a sua rotina?
  • Quais as suas responsabilidades na empresa?
  • O que você faz no seu trabalho?
  • Quais são os maiores desafios da sua vida?

Neste caso, é preciso ter sensibilidade para saber o que perguntar e como.

Consumo de conteúdo

O consumo de conteúdo, como o próprio nome sugere, diz respeito aos materiais preferidos dos clientes e onde eles costumam buscar informações. As perguntas são:

  • Quais redes sociais você usa?
  • Como você se mantém informado?
  • Quais assuntos mais chamam a sua atenção?
  • Você busca informações em qual hora do dia?

Aqui outras questões podem ser adicionadas, como quanto tempo a pessoa passa conectada durante o dia, etc.

Hábitos de compra

Quanto aos hábitos de compra, a intenção é saber quais produtos ou serviços mais agradam o público. Diante disso, algumas perguntas possíveis são:

  • Quais suas marcas preferidas?
  • Onde você faz compras normalmente?
  • Você envia mensagens para as empresas?
  • Em quais canais você prefere ser atendido?

Assim como nas etapas anteriores, essas questões poderão ser feitas no formato de questionário ou até em uma entrevista.

Relação com a empresa

Por fim, a relação com a empresa refere-se à maneira como o público chegou até o seu negócio. Algumas perguntas são:

  • Como você conheceu a empresa?
  • Como podemos te ajudar em seus problemas?
  • O que você vê como qualidade no negócio?
  • Quais produtos/serviços te interessam?

A grande vantagem é que qualquer empreendimento pode usar essas questões, desde as empresas de instalação elétrica, até comércios e profissionais autônomos.

3 – Faça a análise dos dados

Após a aplicação da pesquisa, chegou o momento de analisar os dados. Afinal de contas, você terá em mãos uma grande quantidade de informações, ainda mais se a sua coleta de dados for feita na internet.

Durante a sua análise, busque identificar um padrão nas respostas. Dessa maneira, é possível destacar quais as principais características, problemas e demandas da audiência, utilizando essas informações para construir a sua persona.

Por exemplo, uma empresa de refeição coletiva pode perceber que a maioria dos participantes da pesquisa têm entre 35 a 50 anos e, dessa forma, já fica mais fácil saber que idade terá a persona e como orientar estratégias para essa faixa etária.

4 – Estruture a sua persona

Agora que você já tem um padrão das suas respostas, é o momento de fazer a sua persona ganhar vida. Tente imaginar que todas essas características que você levantou sejam parte de uma pessoa real.

Ou seja, é importante que a sua persona seja humanizada, não um personagem afastado da realidade. Uma dica aqui é contar uma história, pois todo mundo sempre tem alguma coisa para contar sobre a sua vida.

Por exemplo, imagine que você tem uma loja de brinquedos especializados em estímulos sensoriais para bebês. Agora, leia a representação de uma persona abaixo:

Sarah, 35 anos, casada, classe B, nível superior completo
Sarah é arquiteta de imóveis de alto padrão. Recentemente, acabou de ter o seu primeiro e único filho, já que ela e seu marido não têm intenção de ampliar a família. 
Vinda de uma família de professores, a grande preocupação de Sarah em relação ao seu bebê é a questão da educação, que ela quer estimular desde cedo. Por isso, desde o nascimento, ela vem procurando lojas de brinquedos educativos no Google.
Porém, Sarah é muito crítica quanto aos resultados de pesquisa. Além de avaliar o site, ela gosta de entrar no Instagram das lojas, para ver os produtos mais de perto.
Ela também busca referências em sites de reclamações, para ver as avaliações de outras pessoas que já compraram no local.

Perceba que há uma história que envolve a busca da persona (Sarah). Ou seja, os comportamentos não são aleatórios, mas têm uma justificativa. É aí que a sua empresa pode se beneficiar da construção da persona.

5 – Aprimore o seu personagem cada vez mais

Vale dizer que a sua persona não precisa ser estática. Assim como nós, seres humanos, o personagem também pode ser influenciado por alguma coisa.

Por exemplo, o perfil de um cliente interessado em impressora de crachá pode também envolver outras preferências por produtos relacionados. A dica é contar uma nova história para esse personagem, ou até mesmo criar uma nova persona.

Dependendo do seu segmento de atuação e das características do produto ou serviço, é possível sim ter mais de um personagem. Claro que as campanhas terão enfoques diferentes, diante dessas especificações.

Por exemplo, a locação de uma sala reunião pode atender tanto clientes de alto padrão, interessados em um coworking descolado, quanto jovens que acabaram de sair da faculdade, interessados em um ambiente mais atrativo financeiramente.

O segredo é saber como orientar as campanhas, para atingir os desejos e anseios de cada uma das personas, tornando o marketing muito mais eficiente e assertivo.

Conclusão

A construção de personas é algo que chegou para ficar dentro das estratégias de marketing. 

Com essa técnica, que pode ser usada para vários negócios, como uma empresa de reciclagem de residuos industriais, é possível obter resultados muito mais expressivos.

A ideia é orientar os conteúdos para uma pessoa específica, representada pela persona. Ou seja, você acerta bem “no alvo”, que é o seu cliente ideal, oferecendo à ele aquilo que realmente quer, no momento e local certos.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Posted in Dicas SEO. Bookmark the permalink.

About Posicionamento Web

Marketing Online em Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

  • Formulário Contacto

    Nome (obrigatório)

    E-mail (obrigatório)

    Telefone

    Site

    Assunto

    A sua mensagem

    captcha

  • Facebook SEO Portugal

  • Posicionamento Web

    Publicidade Internet

    Perfil Google Plus